Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ressaca de Palavras

Ressaca de Palavras

Dom | 30.10.16

Quando Viver Se Torna Doloroso.

É triste quando todas as manhãs o simples ato de erguer o corpo se torna doloroso e tens de travar uma luta contigo próprio dizendo que isso vai passar, que é só um mau dia. Sentes-te esgotado e sem forças, mas tens de pôr uma máscara e continuar a viver, porque “é só um mau dia”, como toda a gente te diz.

No entanto não é só um mau dia, pois a cada dia a dor que sentes só aumenta, a cada manhã o teu corpo torna-se mais pesado e levantar da cama todas as manhãs torna-se um verdadeiro sacrifício. A tristeza e a dor que sentes prolongam-se e aos poucos vão roubando o lugar à felicidade. Começa a surgir um sentimento de vazio, pois nada te satisfaz, nada te faz sorrir de maneira espontânea, nada te faz rir até a barriga doer, nada te deixa com um brilho nos olhos, nada te proporciona alegria.

Passas a viver fechado numa bolha, lá fora a vida passa a correr, mas dentro da tua bolha vives em câmera lenta e todas as dores são intensificadas. À tua volta toda a gente parece feliz, toda a gente traz um sorriso no rosto, as pessoas dão gargalhadas bem altas, e tu não consegues entender de onde vem tanta felicidade. Sentes-te diferente porque não consegues sentir-te feliz, não consegues rir como toda a gente. Esforças-te tanto para conseguires sentir alguma coisa que te faça soltar um pequeno sorriso, algo que faça o teu coração acelerar, mas por mais que tentes não consegues e acabas mesmo por desistir.

Vives prisioneiro da tua mente que te leva a pensar nas piores questões: Por que motivo ainda tenho de acordar todas as manhãs? Por que razão tenho de abrir os olhos se não sinto prazer em nada? Por que não tenho direito a ser feliz? Por que me sinto assim? Porquê eu? O que há de errado comigo? Na tua cabeça surge um turbilhão de pensamentos autodestrutivos: Esta tristeza nunca irá desaparecer; Nunca irei voltar a ser feliz; Não sou suficientemente bom; A minha existência é indiferente; Ninguém se importa comigo; Não sirvo para nada; Não sou bonita/o; Sou um peso na vida de toda a gente. É neste momento que a tua mente se torna a tua pior inimiga, ela sabe os teus pontos fracos e vai atacar-te até te deixar completamente no fundo.

Percebes que viver se torna doloroso quando a depressão se apodera da tua mente, do teu corpo, dos teus pensamentos, dos teus sentimentos, dos teus sonhos e das tuas esperanças. No dia em que ela te tira isso tudo, é o dia em que tu "morres". O teu corpo ainda continua aqui, porque enquanto o teu coração bater e o teu sangue correr nas veias, o teu corpo continuará vivo. Porém a tua alma já não está cá, a tua essência "morre" e o que resta dentro desse corpo é um vazio escuro. Mas não estás totalmente vazio, até porque a depressão tem sentimentos, os mais dolorosos que alguma vez sentirás. Vives todos os dias com tristeza e angústia, no início é doloroso, contudo chega um dia em que te habituas, em que deixas de conhecer outros sentimentos e passas a viver uma vida de tanto faz. O que te motivava antes já não te motiva. As atividades prazerosas já não te dão qualquer prazer. As esperanças que tinhas foram-se esgotando. Os sonhos que tanto querias concretizar já não têm qualquer importância.

Aos poucos vais-te afastando das pessoas, sem te aperceberes, sem qualquer motivo, mas pouco a pouco, distancias-te delas. Passas a viver na solidão, evitas estar rodeado de pessoas, porque até isso te traz dor. As lágrimas passam a escorrer pelo teu rosto com mais frequência, porque tudo te deixa triste. A depressão sugou-te as forças e a fraqueza vai-te levar ao limite. O sentimento de desespero aumenta a cada dia porque já não te sentes capaz de aguentar tanto sofrimento e a única coisa que desejas é que essa dor desapareça. Tens vontade de rasgar o peito porque já não cabe tanta dor dentro de ti, já não aguentas esse cansaço que te leva à exaustão, já não aguentas viver. 

É triste quando viver se torna algo doloroso. Não deveria ser assim, ninguém deveria sentir dor em viver, a vida não deveria ser dolorosa. Viver, só por si, já deveria ser motivo suficiente de felicidade e de prazer.

 

 

 

Dom | 09.10.16

É Hora De Seguir Em Frente!

Sabes que é hora de seguir em frente quando te tornas escravo dos teus próprios pensamentos. Quando vives dentro de um sonho do passado e esqueces da realidade.

É hora de seguir em frente, é hora de deixar ir, é hora de dizer adeus. E tu sabes disso, não sabes? Porém, crias ilusões na tua cabeça para consolares o teu coração. As lembranças magoam-te, torturam-te, queimam como o fogo… E mesmo assim, tu insistes em trazer o passado para o presente.

Todas as noites as lágrimas escorrem pelo teu rosto, e porquê? Porque voltaste a abrir o baú das memórias. Porque continuas a reviver aqueles momentos na tua cabeça. Momentos que já devias ter esquecido, não é? Tu sabes que isso não te faz bem, tu sabes que estás preso aos fantasmas do passado.

Estás a desperdiçar segundos, minutos, horas, dias, meses e anos da tua vida. Mas nada disso importa, porque estás mais focado em viver das lembranças, como se estivesses preso dentro de uma fotografia antiga. Preferes viver na ilusão porque o sentimento de perda é destrutível e, se deixares que ele se apodere de ti, vai quebrar-te em mil pedaços.

Não podes permitir que tanto sofrimento tome conta de ti. Há tanto para viver, tanto para conhecer, há tanta felicidade à tua espera. Nada é mais errado do que ficar parado no tempo, agarrado às memórias que se foram e que não voltam mais.

Não deixes que a tua felicidade dependa de alguém ou algo que possas perder. Só precisas de ganhar coragem para seguir em frente e deixar o passado no lugar onde ele pertence. Por muito doloroso que seja, por vezes a melhor solução que temos é esquecer. É preciso soltar as amarras do passado para fazer um novo recomeço. A vida não é só sofrimento, dor, mágoa.

Nada dura para sempre, tudo tem um fim. O tempo esgota-se, as palavras esquecem-se, amores eternos acabam, pessoas morrem. Se algo na tua vida acabou, faz o teu luto, mas lembra-te que a vida continua e as lembranças são uma maneira de nos mostrar o quão felizes fomos naquele momento e não para nos levar a uma tristeza avassaladora.

Acredita que haverá sempre um novo dia, uma nova oportunidade, uma nova vida, um novo amor. Não tenhas medo! Fecha os olhos, respira fundo e deixa ir… É hora de seguir em frente! E lembra-te que nada é completamente esquecido, o que é verdadeiro permanecerá sempre dentro de nós, até ao último batimento do nosso coração.

 

 

Dom | 09.10.16

Talvez Um Dia Esqueça De Me Lembrar De Ti.

alvez um dia esqueça de me lembrar de ti. Talvez um dia acorde com um enorme sorriso e com uma onda de  felicidade a deslizar pelo meu corpo. Talvez seja um dia comum como tantos outros, com a única diferença de não sentir o vazio da tua ausência e o meu primeiro pensamento não sejas tu. Um dia em que me sentirei completa, em que deixarei o passado no seu devido lugar e sem sentir aquela vontade de revivê-lo.

Talvez uma  noite não tenha a necessidade de procurar todas as lembranças dos nossos momentos felizes: o brilho nos teus olhos quando olhavas para mim e dizias que me amavas, os arrepios no meu corpo quando me tocavas, os abraços apertados que nos aqueciam no inverno, aquele sorriso entre o beijo, aquele friozinho na barriga que sentia quando te via…

Talvez uma noite me esqueça de lembrar disso, talvez me esqueça de todas essas sensações, porque essas memórias estão a matar-me, levam-me a um estado profundo de tristeza acompanhado de um choro incontrolável. Talvez nessa noite adormeça sem a esperança de sonhar contigo.

Talvez quando me esquecer de lembrar de ti tudo mude e serei capaz de seguir em frente, serei capaz de ser feliz novamente. Talvez esse dia seja amanhã, ou depois de amanhã, ou então daqui a uma semana, um mês, um ano… Não sei quando será, mas um dia será.

A única certeza que tenho é que esse dia não é hoje, pois hoje ainda me lembrei de ti. Hoje ainda tive aquela enorme vontade de viajar no tempo para te encontrar, para sentir os teus lábios nos meus, para que os meus braços encontrassem os teus e se envolvessem num abraço profundo. Esta noite ainda olhei para as estrelas desejando que estivesses do outro lado a pensar em mim. Esta ainda vai ser como tantas outras noites em que adormeço a chorar, as lágrimas sairão dos meus olhos sem parar até que os sinta a arder de dor.

“Longe da vista, longe do coração”, nunca uma frase fez tão pouco sentido na minha vida. Os meus olhos não te veem e a distância que nos separa é muita, mas isso não é suficiente para me fazer esquecer de ti. Parece que nada é suficientemente forte para te apagar de mim, nem o tempo, nem a distância. Quanto tempo mais terá de passar? Quantas lágrimas mais terei de derramar? Quanta dor mais terei de suportar? Quantas memórias mais terei de recordar? Quantas vidas mais terei de viver para, finalmente, te esquecer?

Acho que a saudade irá sempre permanecer, mas talvez um dia deixe de doer. Talvez nesse dia diga adeus à tua imagem que vagueia na minha mente, não para sempre, mas só o tempo suficiente para eu seguir em frente.

Parece que hoje ainda não foi o dia em que me esqueci de lembrar de ti.

 

 

 

Dom | 09.10.16

O Amor Não É Só Sentir Borboletas Na Barriga!

O amor não é só sentir borboletas na barriga e suspiros profundos antes do beijo. O amor não é só sentir o sangue a ferver nas veias, não é só sentir o coração a palpitar aceleradamente. O amor não é só andar de mãos dadas pela rua. O amor não é só juras e promessas sob o céu estrelado. O amor não é só rir das piadas sem graça do outro. O amor não é só dois corpos nus e suados numa cama envolvidos no desejo e no prazer.

Os apaixonados que me desculpem, mas o amor não é só isso… É claro que também é isso, é isso e muito mais. O amor é maravilhoso, é o sentimento mais bonito e puro que existe. Quem me dera que o amor fosse só sentir aquela explosão de paixão que nos leva à loucura. Mas infelizmente o amor não é só sentir o corpo a tremer, não é só perder o fôlego, não é só sentir uma felicidade arrebatadora… O amor também tem o poder de nos dar as dores mais profundas que possamos imaginar. O amor tanto nos dá vida, como nos faz morrer aos poucos.

O amor não é só sentir borboletas na barriga, é também sentir o coração apertado com a despedida. É sentir a dor de um amor que fica mesmo quando a outra pessoa vai embora. É viver com a ausência e a saudade de quem nunca mais irá voltar. É chorar ao lembrar daquilo que te fez sorrir um dia. É querer ter amnésia porque não aguentas tanto sofrimento. É ter vontade de rasgar o peito para libertar toda a dor e aflição que se alimenta de ti.

Fácil é sentir as borboletas na barriga no primeiro encontro. Difícil é ter de matá-las na separação. Fácil é sorrir quando vemos a pessoa chegar. Difícil é conter as lágrimas na sua partida. Fácil é lembrar. Difícil é esquecer. Fácil é apaixonarmo-nos. Difícil é deixar de amar. Fácil é dizer “olá” pela primeira vez. Difícil é dizer “adeus” pela última vez. Fácil é sonhar com a pessoa. Difícil é acordar e não a ter na nossa vida. Fácil é viver como se tudo fosse durar para sempre. Difícil é viver e perceber que o para sempre, sempre acaba. 

E o mais difícil de tudo é viver com a angústia do fim de um relacionamento, pois por mais “perfeita” e estável que uma relação possa ser, o fim é sempre inevitável. Por muito forte que seja o amor, por muito que as pessoas lutem, por muita vontade que tenham de ficar juntas, a força do destino é superior e incontrariável. E depois do fim sobra apenas uma bagagem de recordações e um amor no peito que carregaremos por toda a vida. Algumas pessoas  foram destinadas a amarem-se, mas não foram destinadas a ficarem juntas para sempre.